Exposição solar aumenta o risco de desenvolver doenças oculares

“Já são vários estudos que demonstram que as pessoas mais expostas à luz solar têm uma maior tendência para desenvolverem certo tipo de doenças oculares. Mais do que a ação aguda dos raios UV sobre os olhos (que provoca uma queimadura na superfície ocular – fotoceratite), é o efeito cumulativo de longos períodos expostos à luz solar que tem um efeito mais pernicioso sobre a visão,” explica o Presidente da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO), Manuel Monteiro Grillo.

De forma a evitar a ocorrência de problemas oculares, Manuel Monteiro Grillo em representação da SPO, recomenda algumas medidas essenciais de prevenção:

Exposição solar: Em primeiro lugar, deve-se evitar a exposição solar entre as 11h00 e as 16h00, intervalo de horas em que a exposição aos raios UV é bastante mais elevada.

Óculos de sol: Para uma maior proteção dos olhos é essencial o uso de óculos de sol com proteção UV, idealmente com lentes de proteção UV 100 por cento ou com a maior percentagem possível.

Chapéus e bonés: Os chapéus com abas e/ou palas também são uma ajuda na proteção dos olhos, uma vez que este acessório proporciona uma barreira sobre a radiação solar direta pela sombra que dá.

Atenção os medicamentos: Se está a ser medicado o cuidado deve ser redobrado, os seus olhos podem estar mais sensíveis à luz solar.  São vários os medicamentos fotossensíveis, mas destacam-se, por exemplo, alguns anti-histamínicos, antibióticos ou antidepressivos.

A SPO alerta ainda que se deve procurar imediatamente um oftalmologista caso, após exposição solar, sejam sentidos alguns destes sintomas:

- Olhos vermelhos;
-Ardor;
-Sensação de corpo estranho;
-Visão enevoada.

fonte:https://nutrimento.pt/noticias/alimentacao-saudavel-desafios-estrategias-2017-2018/